Com time reserva, Flamengo sofre empate do São Paulo no fim e fica no 1 a 1 no Brasileiro

Com o foco total na decisão de quarta-feira pela Libertadores, contra o Peñarol, o Flamengo abriu mão de sua força máxima no Brasileiro, mas o time reserva, recheado de jovens e com a aposta em uma postura defensiva e de contra-ataque, empatou com o São Paulo neste domingo, em 1 a 1, após sair na frente.

Berrío abriu o placar no começo do primeiro tempo, o que levou o rubro-negro a se postar na defesa e esperar uma boa oportunidade para matar o jogo. O São Paulo partiu para cima e pressionou até o fim. Deu certo, aos 37 minutos do segundo tempo, quando Tchê Tchê deixou tudo igual.

– A gente quando veste essa camisa entra para vencer. Fico satisfeito com a dedicação e coragem da equipe. Queríamos ter saído com três pontos. Vamos para o próximo – disse Diego.

O resultado deixou o Flamengo na oitava posição do Brasileiro. O time agora volta atenções para o último compromisso pela fase de grupos da competição sul-americana. O elenco treina nesta segunda-feira em São Paulo e viaja para o Uruguai para encerrar a preparação para o “jogo do ano”, que vale classificação para as oitavas de final.

Foi uma tarde de um Flamengo muito diferente, mas até certo ponto surpreendente por seu desempenho. Abel Braga armou uma equipe com três volantes – Piris, Hugo Moura e Ronaldo – que conseguiu proteger bem a defesa na maior parte do tempo. No ataque, Diego organizou as principais jogadas, desde o gol de Berrío, que dominou um lançamento do camisa 10, tabelou com Hugo Moura e anotou.

Na frente do placar, o Flamengo teve chances de ampliar pouco depois, mas em seguida recuou e fez o tempo passar. Tentou segurar o São Paulo enquanto pôde. O time paulista atacava sem parar e obrigava o goleiro César a trabalhar bastante. Do outro lado, o Flamenog perdeu Berrío, que desmaiou após uma pancada no queixo. E ficou com Lincoln isolado na frente, tentando segurar a bola.

A postura não foi suficiente para o Flamengo ir em busca de mais um gol para se tranquilizar. O São Paulo, mesmo sem Pato, que saiu antes de Berrío também por pancada na cabeça, dominou as ações e parou no paredão criado na frente da área rubro-negra até os minutos finais. A entrada de Bruno Henrique antes de levar o empate deu esperanças para o Flamengo conservar a bola no ataque e fazer o segundo, mas não houve tempo para isso.

Em bola alçada na área, Hernanes testou firme, César fez milagre, mas eu rebote que Tchê Tchê aproveitou para mandar para a rede. Com sete minutos de acréscimo devido a diversos atendimentos pelo lado do Flamengo, em função de câimbra, o São Paulo pressinou para tentar a virada e o time rubro-negro recuou ainda mais.

Apesar de dois pontos desperdiçados no fim, a atuação do time reserva, sem entrosamento, se mostrou produtiva para o restante da temporada, caso o Flamengo se mantenha na disputa pelas três principais competições – Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores.

06/05/2019


Warning: A non-numeric value encountered in /home/storage/5/51/e3/reportercoqueiroseco/public_html/wp-content/themes/portal2017/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009