Acusado de assassinar esposa diz que morte foi acidental

abelardo
Começou na tarde desta segunda-feira, dia 13, o julgamento de Abelardo Félix da Silva, de 51 anos, acusado de matar a esposa, Zilnieide da Silva Nascimento, em setembro de 2013, no bairro Tabuleiro do Martins, na Capital. O encerramento dos trabalhos está previsto para acontecer às 20h.

Segundo informações da assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça, o réu negou ter matado a mulher. Abelardo declarou que Zilnieide veio para cima dele, segurando uma faca, dizendo que iria matá-lo. Para se defender, o réu afirmou ter jogado uma caixa de ferramentas em direção à vítima, que teria caído e cortando o pescoço, acidentalmente.

No julgamento, também foram ouvidas três testemunhas. A primeira foi o policial Miguel Monteiro da Silva, que esteve no local do crime. O PM disse que o réu apresentava sinais de embriaguez quando o encontrou. Afirmou ainda que, pela profundidade e tamanho do corte no pescoço da vítima, não havia chances de ter sido acidente.

O policial militar Earlle Ellis da Silva Cândido também prestou depoimento. Ele disse que estava de serviço no dia da ocorrência, tendo sido acionado para se deslocar à casa do réu. “Pelo que vi o cenário era de um homicídio”, afirmou.

A última testemunha foi a senhora Maria José Agostinho dos Santos, que morava próximo ao local do crime. Ela disse que era comum ouvir réu e vítima discutindo. “Eles sempre brigavam. Acho que por ciúmes”, declarou.

A sessão está sendo conduzida pelo juiz John Silas da Silva, titular da 8ª Vara Criminal de Maceió. A acusação tem à frente o promotor de Justiça Antônio Luís Vilas Boas e a defesa está sob responsabilidade da defensora pública Andrea Carla Tonin.

O Caso

O crime ocorreu no dia 29 de setembro de 2013, por volta das 14h, na rua dos Eucaliptos, bairro Tabuleiro do Martins, parte alta de Maceió. De acordo com a denúncia do Ministério Público, a vítima sofria constantes agressões físicas do marido. No dia do homicídio, ela estava na casa da vizinha prestando serviços domésticos quando o marido a chamou. Ao chegar em casa, Zilnieide da Silva foi esfaqueada no pescoço, não resistindo aos ferimentos.

*Com Ascom TJ/AL