Ao atingir Judiciário, Ajufe se manifesta contra vazamentos pela primeira vez contra a Lava Jato

Ministro Benedito Gonçalves e vice-presidente do STJ Humberto Martins – Foto: STJ
Histórica apoiadora do juiz Sérgio Moro no avanço das investigações da Operação Lava Jato, a partir da Vara Federal de Curitiba, a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) se manifesta pela primeira vez contra indícios das apurações. Trata-se da delação da OAS, que supostamente atinge em cheio o Judiciário, citando ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ).
As negociações da empreiteira com os procuradores da República da Lava Jato para o acordo mencionaram, entre os tópicos, o nome dos ministros Humberto Martins, atual vice-presidente do STJ e Benedito Gonçalves. A grave acusação é de que eles teriam sido apontados por delatores da OAS como beneficiários de recursos pela atuação do tribunal em favor da companhia.
A informação foi divulgada pela Folha de S. Paulo, em reportagem publicada no dia 01 de maio. O jornal disse ter fonte de “pessoas ligadas” às negociações do Ministério Público Federal (MPF) com a OAS. Intitulada “Empreiteira OAS pretende delatar dois ministros do STJ”, a expectativa nos bastidores da Lava Jato é que a OAS será a primeira empresa a revelar ilícitos envolvendo o Judiciário no esquema de corrupção.
Com assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *