Ataque suicida a comboio da Otan mata e fere no Afeganistão

Bomba matou ao menos 8 civis e feriu outros 28. Entre as vítimas estão mulheres e crianças. Estado Islâmico reivindica autoria da ação.

Pelo menos oito civis e um rebelde morreram, e outras 28 pessoas ficaram feridas em um atentado suicida com bomba nesta quarta-feira (3), durante a passagem de um comboio da missão da Otan no Afeganistão, em uma área de alta segurança de Cabul.

O Estado Islâmico, em comunicado de sua agência Amaq cuja autenticidade não pôde ser verificada, afirmou que o ataque é de sua autoria. “Uma fonte de segurança disse à agência ‘Amaq’ que um mártir do Estado Islâmico detonou seu carro-bomba contra um grupo de forças americanas perto da embaixada dos Estados Unidos em Cabul”, disse o grupo terrorista, afirma o G1.

A explosão aconteceu às 7h45 (horário local, 0h55 de Brasília), no Distrito Policial 9, no centro da capital afegã, durante a passagem do comboio e “perto da embaixada dos Estados Unidos”, afirmou o porta-voz da polícia de Cabul, Basir Mujahid.

Um porta-voz da missão da Otan no país, William K. Salvin, confirmou através de um breve comunicado que um comboio foi atacado por um homem-bomba e que na ação ficaram feridos três de seus integrantes. “Nenhum deles sofreu ferimentos graves, se encontram em situação estável e estão sendo tratados em instalações médicas da coligação”, detalhou Salvin.

Morreram oito pessoas, incluindo mulheres e crianças, e outras 25 ficaram feridas, disse o vice-porta-voz do Ministério do Interior afegão, Najeeb Danish.

Os feridos, “todos civis”, foram transferidas para um hospital, afirmou o porta-voz do Ministério da Saúde, Ismail Kawasi.

O primeiro-ministro, Abdullah Abdullah, condenou o fato e se mostrou “profundamente triste pelo ataque terrorista que matou civis inocentes”. “Me solidarizo com as vítimas”, disse Abdullah, em uma mensagem através da sua conta oficial do Twitter.

Em outro ataque no mês passado, na área de maior segurança de Cabul, cinco civis morreram e três pessoas ficaram feridas quando um homem-bomba tentou detonar os explosivos contra um veículo de funcionários do governo. Esse atentado foi reivindicado pelo Estado Islâmico (EI) através de um comunicado divulgado na internet pela agência “Amaq”, órgão de propaganda do grupo terrorista. 8

03/05/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *