Bloqueadores de sinal fortalecem a segurança em presídio de Alagoas

Equipamentos instalados em locais estratégicos impedem que aparelhos eletrônicos sejam utilizados na unidade para comunicação externa.

d7d6a9589b3a4f47423d3fe1ef092de2_L
Sistema inibe o funcionamento de celulares no entorno e dentro do Presídio do Agreste. Foto: Jorge Santos

Mais segurança no presídio! Os servidores penitenciários, reeducandos e visitantes que entram no Presídio do Agreste, localizado no município de Girau do Ponciano, percebem desde a entrada que medidas preventivas foram adotadas pela chefia da unidade para assegurar a ordem e disciplina, além de efetivar as ações ressocializadoras, conforme prevê a Lei de Execuções Penais.

 

Na era da tecnologia, o Presídio do Agreste utiliza bloqueadores de última geração para evitar que sinais do tipo GPS e ISM funcionem dentro da unidade. A medida impede que os reeducandos utilizem drones, telefones celulares, computadores, televisores e demais aparelhos para comunicação externa.

 

Os equipamentos com potência entre 830 a 2400 mhz, foram adquiridos pela empresa Reviver Administração Prisional Privada, que administra a unidade junto com a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social através de um sistema de co-gestão. A instalação dos bloqueadores teve início no mês de dezembro de 2015.

 

O técnico de Informação, Leonardo Sousa, comenta que antes o sistema de bloqueadores ficava mais vulnerável, já que era localizado dentro dos módulos. Em razão disso, era necessário fazer a manutenção dos aparelhos danificados com frequência.

 

“Fizemos um estudo e definimos locais estratégicos para instalar os bloqueadores, aumentamos sua frequência e eliminamos qualquer possibilidade de contato dos internos com o mundo externo”, frisou o técnico.

 

De acordo com o chefe do Presídio do Agreste, Rodrigo de Lima e Silva, as medidas tomadas asseguram mais segurança e tranquilidade para os servidores penitenciários trabalharem.

 

“No local onde foram instalados os bloqueadores, dificilmente teremos danos. Mas se houver uma situação atípica, temos uma equipe de manutenção preventiva, de correção e manutenção preparada para atuar a qualquer hora com agilidade e eficiência”, reforçou o chefe do presídio.

Victor Costa – Agência Alagoas