Confira dicas para conseguir um emprego após os 40 anos

Extra buscou orientação para carimbar a carteira. Extra buscou orientação para carimbar a carteira.

Quarenta anos de experiências. É assim que os candidatos que já ultrapassaram a faixa dos 40 de idade devem encarar o peso dessa informação em seus currículos. Na busca por uma oportunidade de emprego, ter confiança é fundamental. E, segundo especialistas, esses trabalhadores, em geral, têm essa qualidade. Diante do cenário de crise, até quem não trabalha há algum tempo está retornando ao mercado, assim como os que foram demitidos após anos de trabalho estão tentando uma recolocação. Portanto, idade, hoje, não é documento.

— Na verdade, a maioria desses profissionais é formada por mulheres, a partir dos 40 anos, querendo voltar ao mercado para ajudar no orçamento doméstico. Mas há também as que buscam uma chance, nesta idade, por interesse próprio em trabalhar, após a estabilização da vida pessoal — diz Eliane Zerpin, gerente da filial da empresa de recrutamento e seleção GI Group, no Rio.

E a especialista orienta:

— Na maioria das empresas, não há nenhum tipo de preconceito com idade. É importante não se sentir excluída em momento algum e demonstrar seu interessante em voltar.

Diretora de RH e Marketing da empresa ManpowerGroup Brasil, Márcia Almström concorda e completa:

— O mercado é competitivo. Mas a pessoa com 40 anos, tendo uma trajetória de carreira consistente, tem a experiência que o jovem não tem. O mercado busca uma pessoa mais madura para certas posições.

Sandra Woo, de 55 anos, é um exemplo. Ela, que sempre trabalhou em gestão de negócios numa grande empresa de São Paulo, mas ficou longe do mercado por três anos, não teve dificuldades em se reposicionar, em fevereiro do ano passado, deixando para trás muitos novatos.

— Deixei o mercado porque mudei de cidade. Resolvi, então, fazer cursos, muitos de autoconhecimento, no Rio. Depois, quis voltar a trabalhar, pois adoro contribuir profissionalmente para o mundo. É uma fonte de evolução pessoal. Aí, acionei meu networking (rede de relacionamentos). De primeira, consegui uma entrevista e, em seguida, um serviço como consultora de gestão comercial — lembra a profissional.

A experiência por conta da idade, aliás, ajuda mesmo quem passou por um intervalo longo no exercício profissional ou dedicou boa parte de sua vida às tarefas domésticas. A chave para a autoconfiança e a porta da empregabilidade, neste caso, estão na mudança de percepção de muitas atividades como trabalho — o voluntariado, por exemplo —, o que deve ser listado no currículo.

Site:extra.globo.