Coreia do Norte diz que teste de míssil balístico teve êxito

Coreia do Norte diz que teste de míssil balístico teve êxito

A agência estatal da Coreia do Norte, KCNA, afirmou nesta segunda-feira (29) que o teste de míssil balístico realizado nesta manhã teve êxito. A agência também afirma que o líder norte-coreano Kim Jong Un supervisionou o teste de um míssil balístico controlado por um sistema guiado de precisão e ordenou o desenvolvimento de mais armas estratégicas poderosas. Este foi o terceiro teste de míssil feito pelo regime de Pyongyang em menos de três semanas.

“O foguete balístico voou até o leste, onde nasce o dia, e impactou corretamente o ponto desejado após voar a metade da distância de seu alcance”, indicou a agência oficial norte-coreana, segundo o g1.

Segundo a KCNA, Jong Un expressou convição de que o país “dará um grande salto em direção ao seu espírito de enviar um ‘pacote de presente’ aos Yankees”, em retaliação às provocações militares dos Estados Unidos. O país tenta desenvolver um míssil intercontinental, que possa chegar até o continente americano.

Na noite deste domingo (horário de Brasília), o chefe de estado-maior da Coreia do Sul disse que o país vizinho tinha realizado um disparo de míssil não identificado perto da cidade costeira de Wonsan.

Fontes militares sul-coreanas indicaram que o míssil, de tipo Scud, percorreu 450 km rumo ao leste antes de cair no mar. O Japão informou, por sua vez, que o projétil caiu dentro de sua zona econômica exclusiva que se estende até 200 milhas náuticas de sua costa.

O disparo do míssil provocou uma condenação enérgica do presidente americano Donald Trump. O chefe de Estado informou que o lançamento foi uma falta de respeito com relação à China, o principal aliado de Pyongyang, que tenta dissipar as tensões geradas pelas aspirações nucleares de seu vizinho.

Nos últimos meses, Kim Jong Un supervisionou vários exercícios militares, incluindo o disparo de um míssil balístico de médio alcance no domingo (21) passado, enquanto Washington continua a pressionar Pyongyang a desistir de suas ambições nucleares.

29/05/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *