Delmiro Gouveia: Fabrica da Pedra demitiu 125 trabalhadores

Fabrica da Pedra, industria textil, fundada por Delmiro Gouveia em 1914 hoje pertencente ao Grupo Carlos Lyra.  A economia da cidade gira em torno da fabrica /   "Fabrica da Pedra" was the first industrial zone of the Brazilian Northeast and to build the first textile plant in the arid 'sert‹o' region of Alagoas. On June 5th, 1914,  Cia. Agro Fabril Mercantil launched its operations in the village of Vila da Pedra, currently known as Delmiro Gouveia. In 1992, the Carlos Lyra Group, assumed the control of the plant. Foto Marcos Issa
Foto Marcos Issa

No momento em que amanhã, o governador Renan Filho se desloca ao alto Sertão para junto com o Ministro dos Transportes, Aviação Civil e Portos, alagoano Mauricio Quintella para anunciar o fim de uma promessa que já durava 45 anos, dando ordem de serviço na construção de 45 km de estrada que ainda se encontra no barro, na Br 316 Carié à Inajá(Pe), estoura em Delmiro Gouveia a notícia mais triste: a Fabrica da Pedra demitiu na quarta feira(13) 125 funcionários.

A informação foi dada pelo diretor Luiz Anhaguerra Lessa a imprensa, dizendo “infelizmente, tentamos preservar os empregos até o limite, lembrando que a produção está paralisada desde 1 de abril quando o grupo Carlos Lyra deu férias aos 596 trabalhadores.

Segundo ele, estamos fazendo uma restruturação para superar a crise. “Vínhamos arcando com os salários em dia de todos trabalhadores”, disse Anhaguerra.

Para o diretor da fábrica da Pedra “a economia do país não reagiu e nem vai reagir até meados de 2017, não existe crédito para as indústrias, taxa de juros alta, será um processo lento até a normalização do cenário macroeconômico.”

Eu acredito na Fábrica, porém para sobreviver vamos ter que fazer uma reestruturação e reduzir momentaneamente o volume de produção. Um velho ditado, a Lei da oferta e da procura. O momento é de união, eu não tenho dúvida de que juntos, com muito trabalho e Deus à frente, iremos sair vivos dessa”, arrematou Anhaguerra.

fabrica da pedra historica_

Fábrica da Pedra

Funcionando há mais de um século no município de Delmiro Gouveia, no Sertão alagoano, a histórica Fábrica da Pedra também sofre os efeitos da crise financeira que o país atravessa.

A tradicional fábrica parou suas atividades temporariamente, depois de ter a energia elétrica cortada, por atraso no pagamento das conta que chega a R$ 1,2 milhão. Com isso, dos 586 funcionários da empresa, a direção concedeu férias (vencidas) a 250 trabalhadores e férias coletivas ao restantes.

No final da manhã primeiro de abril, a direção informou à imprensa que apresentou uma proposta de renegociação do débito à Eletrobras, e que aguarda um retorno. A Eletrobras não quis se pronunciar sobre o caso.

Uma das principais fontes de renda da população de Delmiro, a indústria têxtil produz matéria prima para a confecção de peças de cama, mesa e banho e possui 586 funcionários.

“Tivemos vários aumentos em despesas neste último ano, principalmente na carga tributária. Íamos pagar o mês de fevereiro quando a energia foi cortada”, disse o gerente geral da unidade, Luiz Anhanguera Lessa.

Com o corte na energia, o gerente geral explicou que o valor que seria usado para quitar a dívida junto à concessionária será usado para pagar o salário dos colaboradores. “Como a fábrica parou suas atividades, decidimos priorizar nossos funcionários”, acrescentou.

fabrica da pedra em delmiro gouveia

bernadino