Engenhos de AL garantem turismo de experiência para fugir de clichês

Além de contar uma parte da história do Brasil, locais dispõem de natureza exuberante com opções de trilhas e visitas à alambiques

Os engenhos de açúcar são um forte atrativo cultural, proporcionando passeios e diversificando as atrações tradicionais das viagens de férias.
Os engenhos de açúcar são um forte atrativo cultural, proporcionando passeios e diversificando as atrações tradicionais das viagens de férias.

Histórias, culturas e sabores. O desenvolvimento da economia alagoana e das famílias nordestinas pode ser contado através dos velhos e cobiçados engenhos de açúcar, que em belos conjuntos arquitetônicos exploram a referência histórica de um dos processos produtivos mais importantes do Brasil.

Forte atrativo cultural, os passeios nos engenhos diversificam as atrações tradicionais das viagens de férias, inovando com roteiros que proporcionam aos visitantes a degustação de cachaças, rapaduras e outros produtos oriundos da cana de açúcar. Além disso, os atrativos ampliam o conhecimento dos visitantes sobre o período de escravidão no Brasil, marcado pelo uso da mão-de-obra escrava nos engenhos de açúcar do Nordeste, na primeira metade do século XVI.

Em Alagoas, seis engenhos fazem parte deste rol e prometem oferecer uma experiência única ao aliar cultura, história e gastronomia.

Engenho Caraçuipe

Como uma das mais conceituadas bebidas do país, a cachaça produzida no Engenho Caraçuipe, localizado em Campo Alegre, conquistou a medalha de prata no Concurso Mundial de Bruxelas Edição 2015. Utilizando alambiques de cobre e fermentação natural, o processo de produção no engenho é diferenciado, dispensando o uso de aditivos químicos e corantes.

Com ambientes decorados, o espaço é ideal para quem deseja fazer boas fotografias. Na própria área do engenho foi montada uma loja, onde são vendidos os produtos da casa e dos artesãos da região. Partindo da capital, o melhor acesso ao município se dá pela rodovia AL-101.

Engenho Gogó da Ema

E não foi a primeira vez que uma cachaça alagoana esteve entre as melhores do mundo. Reconhecida internacionalmente após ganhar a medalha de ouro no Concurso Mundial de Bruxelas, em 2013, a cachaça Gogó da Ema é produzida de maneira artesanal na Fazenda Recanto, no município de São Sebastião, localizado no Agreste alagoano.

A visita promove o conhecimento sobre o processo de produção da bebida, ao mesmo tempo em que ressalta a importância da comercialização das cachaças artesanais para o setor comercial e cultural do estado. Em dezembro de 2014, o engenho também ficou entre os 50 melhores alambiques de cachaça do Brasil.

Engenho Brejo dos Bois

Situado no município de Junqueiro, distante 116 km da capital, o Engenho Brejo dos Bois é uma das principais fábricas de produtos orgânicos extraídos da cana de açúcar. Por lá, é possível encontrar a tradicional cachaça envelhecida, a rapadura, mel de engenho e o açúcar mascavo. Em instalações rústicas, a área do engenho fica próximo aos atrativos naturais que podem complementar a experiência, como trilhas, passeios, riachos e infraestrutura turística.

Engenho das Alagoas

Dos derivados da cana de açúcar, o mais conhecido é a cachaça. Entretanto, no Engenho das Alagoas, localizado em Pindoba, distante 92,7 km da capital Maceió, a rapadura e o mel de engenho, que estiveram quase extintos, são os destaques da comercialização. Na visita ao local, o momento de degustação acontece ao final do trajeto, pelos espaços onde são desenvolvidos os processos de produção.

Engenho São Lourenço

Comandado pelo carismático casal Maurício e Silvia Medeiros, o passeio pelo Engenho e Restaurante São Lourenço conta com um clima familiar singular. Por lá, o diálogo entre o turismo histórico e a gastronomia local favorece a produção de iguarias culinárias que utilizam os produtos da cana em suas receitas. Com estrutura de restaurante montada dentro do próprio engenho, o ambiente original satisfaz o paladar e o desejo dos visitantes de conhecer um pouco mais sobre as características regionais de Alagoas.

Andressa Alves – Agência Alagoas.