Existem santos?

Sede santos, porque eu sou santo (Lv 11,44). (I São Pedro 1, 16). Sede santos, porque eu sou santo (Lv 11,44). (I São Pedro 1, 16).

Madre Teresa de Calcutá dizia que era fácil ser santo, é seguir a vontade de Deus; o problema é que queremos ser consultados antes por Ele. Já se falou que uma grande luz esconde várias sombras. Como não perceber a escuridão dos grandes pecados que cobriram a esposa da “luz do mundo”, que é a Igreja? Mas é justamente na escuridão onde uma pequena luz se torna importante. E a igreja católica de Arapiraca tem um grande ponto luminoso, Dom Hildebrando Mendes Costa, nascido em Porto Real do Colégio, mas radicado na Capital do Agreste, bispo emérito de Estância, Sergipe, mas que preferiu continuar sua missão, como ele mesmo diz, “até alcançar a meta”, na diocese de Penedo. Foram 75 anos como sacerdote, 65 anos como bispo, noventa anos de existência, completados neste mês de junho. Como não acreditar na existência de santidade, se a própria bíblia tem o nome “santo” escrito 397 vezes? E não enxergar traços de santidade em nossos padres? Levítico 21,8 prefigura a eucaristia e orienta o cristão: Terás, pois, o sacerdote por santo, porque ele oferece o pão de teu Deus: ele será santo para ti, porque eu, o Senhor que vos santifico, sou santo.

Em solo sagrado, na matriz de Nossa Senhora do Bom Conselho, “o anjo bom de Arapiraca”, comemorou junto com vários outros bispos, parte importante do clero e o povo leigo de nossa cidade, os seus noventa anos de vida. Eis o momento para apelar para a paciência dos santos, dos fiéis, aos mandamentos de Deus e à fé em Jesus. (Apocalipse 14, 12) Como disse o vice-prefeito Yale Fernandes: “a missa mais bela que já vi na vida”; um convite à conversão. E da própria boca do homenageado saiu a missão do Homem de Deus: “sempre ter uma palavra de conforto e esperança para quem nos procura”. Praticando o grande sacramento da misericórdia, o da reconciliação, através da confissão e penitência, quantas almas resgatadas para Cristo? Como não se admirar do depoimento emocionado do amigo bispo, que após quase duas décadas convivendo diariamente e morando na mesma casa, nunca viu Dom Hildebrando levantar a voz para alguém, ou mesmo falar mal de qualquer pessoa, e ver nosso amado padre até duas, três horas da manhã rezando na pequena capela episcopal, por inúmeras vezes.

A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus. (Apocalipse 8, 4) Dulcênio era vigário em Estância e Dom Hildebrando o bispo local; as sete horas da manhã os dois viajando para Aracaju, nosso bispo relata que o Santo Padre João Paulo II resolveu nomear Dom Dulcênio, atual bispo de Palmeira dos Índios, como bispo de Aracaju, e que a resposta teria que ser rápida. Dom Dulcênio reclamou porque o amigo não contou antes, pois desde meio dia da véspera sabia da nomeação, e tinham almoçado juntos, mas Dom Hildebrando respondeu: “queria que você dormisse mais um dia, passei a madrugada rezando por você”.

Porque o marido que não tem a fé é santificado por sua mulher; assim como a mulher que não tem a fé é santificada pelo marido que recebeu a fé. Do contrário, os vossos filhos seriam impuros quando, na realidade, são santos. (I Coríntios 7, 14) E justamente através do serviço da Igreja chamado ECC-Encontro de Casais com Cristo,o maior formador de leigos para as inúmeras pastorais,que nos últimos seis anos o vicariato de Arapiraca transgrediu todas as previsões pessimistas e só tem crescido. Eram quatro paróquias, hoje são nove, com mais duas áreas pastorais. No último censo do IBGE, em 2010, Arapiraca mostrou que tem 77% de pessoas que se declaram católicas, para ser mais exato 164964 pessoas, enquanto o Brasil caiu para 57% de católicos. Coincidência ou vontade de Deus, o nosso país vive uma das piores crises de sua história, mas a capital metropolitana do agreste já deixou de viver apenas do fumo, e vira uma das cidades que mais geram prosperidade. Dom Hildebrando Mendes Costa tem sido um exemplo a ser seguido para todo o clero, que se ilumina cada vez com mais vocações e mais ordenações de novos padres. E o seu testemunho reside na serenidade em que vive sua fé, com muita oração. Seguindo o exemplo de Paulo na epístola aos Romanos quem sabe muitos de nós conseguiremos? Força na tribulação, perseverança na oração, e uma alegre esperança de chegar ao reino de Deus.

Sandro Lins – diarioarapiraca.com.br