IMA inicia fiscalização contra tráfego de veículos em praias alagoanas

Operação é respaldada em resolução do Conselho Estadual de Proteção Ambiental

e3fec9355f545ee110874c32ff71b10d_L

Em cumprimento à resolução nº 31/2016, do Conselho Estadual de Proteção Ambiental (Cepram), publicada no Diário Oficial do Estado do dia 1º de julho deste ano, fiscais do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA) iniciaram, no sábado (9), o cronograma de monitoramento e fiscalização contra tráfego de veículos em praias alagoanas.

A operação teve início na praia de Maragogi, onde foram lavrados autos de infração no valor de R$ 1.139 mil em três buggys que trafegavam na faixa de areia. Os fiscais, em parceria com agentes do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), aproveitaram a ocasião para alertar pessoas e empresas de passeios sobre a resolução.

A ação prosseguiu na Barra de Santo Antônio, onde a equipe encontrou dois condutores que faziam seus passeios fora da faixa de areia. Além dos buggys, houve o flagrante de um motociclista trafegando na praia de Carro Quebrado. O responsável foi autuado em R$ 1.139 mil.

Segundo o coordenador de Gerenciamento Costeiro, Ricardo César, a medida irá contribuir para a preservação dos ecossistemas alagoanos. “Dentre os motivos para a proibição, a resolução (nº 31/2016) leva em consideração as desovas de várias espécies de tartarugas marinhas ao longo da costa, além da ocorrência e fragilidade de diversos ecossistemas costeiros”, explicou.

Os técnicos do IMA seguirão com o cronograma de fiscalização em todas as praias do litoral alagoano. Os interessados em licenciar a atividade deverão procurar o órgão e apresentar um projeto de rota alternativa para seguir com os passeios sem gerar danos ao ecossistema costeiro.

Durante as ações de fiscalização e monitoramento, o IMA pode solicitar auxílio da Polícia Militar, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Secretarias Municipais de Meio Ambiente, Guardas Municipais e Marinha do Brasil.

Klaus Roger – Agência Alagoas

11/07/16