Inusitado:Tanque D’Arca comprou merenda quando professores estavam em greve    

Inusitado:Tanque D'Arca comprou merenda quando professores estavam em greve.    
Inusitado:Tanque D’Arca comprou merenda quando professores estavam em greve.
A Controladoria Regional da União-CGU e a Policia Federal em Alagoas estarão em ação em conjunta investigando mais cinco processos que aponta para um estrago ainda maior envolvendo recursos federais na compra de merenda escolar em várias cidades do interior de Alagoas por prefeituras.

Até o momento, quatro processos licitatórios foram investigados resultando em cerca de um prejuízo de R$ 12 milhões aos cofres públicos e deixando as crianças sem merenda escolar.

Cerca de 100 policiais foram envolvidos esta semana pela Policia Federal na Operação, segundo informou a imprensa o delegado Fabio Maia da delegacia de Combate ao Crime Organizados. Do CGU estiveram presentes quinze servidores, órgão que primeiro percebeu indícios de irregularidades nas contas prestadas pelos municípios.

No balanço geral da ação da Operação no combate as irregularidades na merenda escolar cerca de vinte pessoas foram conduzidas à sede da Policia Federal em Maceio´no bairro de Jaraguá para prestar esclarecimentos. Segundo o delegado Roberto Laureano Curi “todas elas serão indiciadas.

Durante as investigações a PF e CGU descobriram jogos de panilhas, em empresas fantasmas , sócios ocultos ou laranjas e certo conluio entre empresas fornecedoras da merenda, informou José William Gomes da Silva, representante do CGU em Alagoas.

A ação em conjunta teve com principal focos as cidades: Tanque D’Arca, Girau do Ponciano, Roteiro, Penedo, Cajueiro, Arapiraca, Traipu, Ibateguara e Maceio – onde funcionava a sede do escritório da empresa vendedora de merenda escolar.

Dentre as prefeituras que a Policia Federal e a CGU investigou fraudes nas licitações da merenda escolar desencadeada na madrugada de terça feira(28) Tanque D’Arca foi a que apresentou a irregularidade mais curiosa: mesmo registrando quatro meses em greve, a prefeitura teria “recebido” o fornecimento da merenda. O informou foi repassado pelo delegado da PF, Roberto Laureano Curi.

Em nota a prefeitura de Tanque D’Arca referente a Operação “Brotherhood” informou que “não guarda qualquer relação com atos de irregularidades.” E diz ainda: ” a investigação limitou-se a uma visita de rotina no município e buscava investigar empresas que prestaram serviços a prefeitura, não estando o município inserido em suas irregularidades.

Mais adiante, explicou a nota:” No que importa à deligência .foram recolhidos documentos de despesas e processos de pagamentos a empresa Antônio Aranda, TJC representações que fornece material permanente, além dos processos licitatórios das empresas.”

Entre as pessoas que foram ouvidas na sede da PF em Maceió estava a secretária de Finanças Vadenice Rocha e o prefeito interino afastado, vereador Antonio Teixeira(PMN).

tanque d arca secretyaria de finança

bernadino