Laudo da PF mostra repasses da Andrade Gutierrez a instituto de pesquisa Vox Populi

pt

Laudo da Polícia Federal sobre a contabilidade da Andrade Gutierrez mostra pagamentos de R$ 18,4 milhões da construtora ao instituto de pesquisas Vox Populi.

Na semana passada, reportagem da Folha de São Paulo mostrou que a Andrade usou um contrato com o instituto para pagar pesquisas utilizadas pela campanha de reeleição de Dilma Rousself em 2014, mas não declaradas. A prática de caixa dois.

De acordo com o Relatório da PF, 54 pagamentos ao Vox Populi e à Vox Opinião Pesquisa foram lançados nas colunas como “consultorias” e “assessoria diversas”. O laudo aborda despesas da empresa de 2004 a 2014, mas data desses repasses não está especificada.

Em depoimento de delação premiada, ex-executivos da Andrade Gutierrez já haviam relatado a existência de um esquema de pagamento de pesquisas na campanha de Dilma à Presidência, em 2010.

O Voz Populi diz que a empreiteira é cliente do instituto há mais de 25 anos.

O documento da PF, concluído em fevereiro, foi anexado a um dos inquéritos da Operação Lava Jato.

Na lista de doações, também aparecem o Instituto Lula e a Paróquia São Pedro de Taguatinga, no Distrito Federal, que foi pivô da prisão do ex-senador Gim Argello (PTB-DF) na 28ª fase da Lava Jato, na semana passada.

Os investigadores divulgaram na ocasião que a construtora OAS havia doado R$ 350 ml em 2014 à paróquia por ordem de Argello, que ameaçava convocar o empreiteiro Léo Pinheiro para depor na CPI da Petrobras.

andrade

A Andrade Gutierrez pagou à igreja R$ 700 mil de 2010 a 2014. O padre Moacir Anastácio já havia afirmado ao Ministério Público Federal que a construtora fez contribuição de R$ 300 mil intermediadas pelo então governador do DF, Angelo Queiroz (PT), mas não “condicionava a qualquer contraprestação”.

No laudo da Polícia Federal, também há um item específico de despesas como prestação de serviços com “publicidade/marketing/gráfica”. Nesse setor, estão listados pagamentos para 16 empresas que somam R$ 28 milhões, sem data especificada.

Na análise das contas, os peritos da PF chama a atenção para um repasse de R$ 2 milões da Andrade em 2014 para a empresa Ediminas Editora Gráfica, que “difere” do padrão de doações da empreiteira, que costuma contribuir com entidades empresariais. “Esta empresa consta, nos registros do TSE (tribunal Superior Eleitoral), como prestadora de serviço de diversas campanhas em Minas” diz o relatório. A Ediminas edita o Jornal “Hoje em Dia”, de Belo Horizonte.

A Andrade Guitierrez disse que não iria se manifestar.

O Vox Populi afirmou, em nota, que fez para a Andrade Gutierrez diversos tipos de pesquisas “mercadológicas e de opinião pública”.

“Os resultados dessas pesquisas foram entregues ao contratante. Todos os serviços foram regularmente contratados e contabilizados.”

O ex-dono do Jornal “Hoje em Dia” Flávio Carneiro, que vendeu a publicação neste ano, disse à reportagem que os pagamentos da Andrade Gutierrez se referem a publicidade e patrocínio.

Fonte: Felipe Bächtold