Líder Palmeiras sai na frente, mas Santos reage, empata e volta ao G-4 (1 x 1)

Peixe tem mais a posse de bola, cria muito no segundo tempo, mas não consegue a virada. Desfalcado, Verdão se defende bem e volta a ocupar a ponta de forma isolada

lucaslima

RESUMÃO

  • ESTATÍSTICASPosse de bola: Palmeiras 37% x 63% Santos
    Finalizações: Palmeiras 13 x 9 Santos
    Cabeçadas: Palmeiras 8 x 4 Santos
    Bolas levantadas: Palmeiras 3 x 4 Santos
    Escanteios: Palmeiras 4 x 2 Santos
    Faltas: Palmeiras 17 x 17 Santos
    Passes errados: Palmeiras 24 x 43 Santos
    Passes certos: Palmeiras 135 x 252 Santos
    Desarmes: Palmeiras 32 x 33 Santos
    Roubadas de bola: Palmeiras 9 x 10 Santos
    Impedimentos: Palmeiras 2 x 1 Santos
    Jogadas pela lateral: Palmeiras 3 x 5 Santos
    Linha de fundo: Palmeiras 0 x 2 Santos
    Contra-ataque: Palmeiras 2 x 1 Santos

    BOM PARA OS DOIS?Palmeiras e Santos empataram em 1 a 1 nesta terça-feira, na casa do Verdão, num jogo em que os dois times ficaram com a sensação de que poderiam ter saído com a vitória. E, por mais contraditório que possa parecer, ambos não podem reclamar do resultado na classificação, já que o Peixe voltou ao G-4 e a equipe palmeirense reassumiu a liderança de forma isolada.

    UM TEMPO DE CADAFoi um jogo em que o Santos teve muito mais posse de bola (63% contra 37%), mas foi o Palmeiras quem finalizou mais (13 contra nove). O Verdão sentiu os desfalques de Gabriel Jesus e Róger Guedes, suspensos, e, pela primeira vez no Brasileirão, não venceu em casa. O Peixe, completo, seguiu à risca a orientação de Dorival Júnior de ter a bola nos pés (trocou 252 passes, contra 135 do Palmeiras), e teve a chance mais clara para chegar ao segundo gol, com Thiago Maia. O empate acabou sendo o justo porque, como definiu Lucas Lima, “o primeiro tempo foi mais do Palmeiras, e o segundo mais do Santos”

    RECORDE

    O clássico marcou o novo recorde de público da arena palmeirense: 40.035 torcedores foram ao estádio, registrando a melhor marca desde a reabertura em novembro de 2014. A renda foi de R$ 2.847.298,80. Clique aqui e veja a lista dos dez maiores públicos da arena alviverde.

    NA TABELA

    Com o resultado deste jogo atrasado da 14ª rodada (estava marcado inicialmente para o último sábado), o Palmeiras mantém a liderança, mas fecha a jornada com apenas um ponto à frente do Corinthians: 29 contra 28. Já o Santos volta ao G-4, com 23 pontos, mesmo número de Atlético-PR, Flamengo e Ponte Preta, mas levando a melhor nos critérios de desempate (seu saldo de gols é muito superior ao dos adversários).

    BLEFE E LESÃO

    As escalações de Tchê Tchê e Moisés foram as grandes surpresas de Cuca. Ambos passaram a semana se recuperando de lesões. No sábado, ficaram fora do coletivo. Mas foram para o jogo. Moisés, porém, pediu substituição com menos de dez minutos de jogo. Antes, porém, ainda cavou um cartão amarelo para Gabriel, numa discussão com o atacante santista. No fim do primeiro tempo, Cuca foi obrigado a fazer outra substituição: Mina sentiu uma lesão muscular e saiu de campo chorando.

    g1.globo.com

    12/07/16