Milhares de manifestantes por uma Alemanha aberta e diversificada

Confrontados com a chegada de mais de um milhão de refugiados em 2015, a Alemanha tem visto aumentar os temores de uma parte da opinião pública e um discurso xenófobo, principalmente através do Movimento Pegida ou o partido populista Alternative für Deutschland (AFD).

Em resposta, organizações como a Anistia Internacional, Pro Asyl, a Confederação Alemã de Sindicatos (DGB), “Brot für die Welt” (“Pão para o Mundo”), o Conselho Central dos Muçulmanos e igrejas protestantes decidiram organizar um fim de semana de manifestações com o lema “de mãos dadas contra o racismo”, na véspera do Dia internacional dos Refugiados.

Segundo os organizadores, cerca de 33.000 pessoas participaram nestas marchas e correntes humanas em cidades alemãs, incluindo 9.000 em Berlim e 4.000 em Munique (sul).