Motorista que matou ciclista e arrastou o corpo por 6 km é condenado a 6 anos de prisão

Júri condenou o motorista pelo crime de homicídio doloso. Pena deve ser cumprida em regime semiaberto.

O motorista acusado de matar e arrastar o corpo de um ciclista, em 2014, no Trevo do Atuba, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, foi condenado nesta quinta-feira (25) a seis anos de prisão, em regime semiaberto. A decisão foi tomada pelos jurados do Tribunal do Júri, de Colombo, que consideraram o José Adir Simioni culpado pelo crime de homicídio doloso.

Conforme a decisão, a pena deverá ser cumprida em regime semiaberto. “Infelizmente, hoje, não foi o momento de os jurados entenderem que é a melhor tese. Saímos daqui encorajados, sabendo de que existem recursos. O recurso de apelação vai ser apresentado”, comentou o advogado Maurício Arruda, segundo o G1.

A promotora Caroline Chiamulera considerou a pena justa. “A pena de seis anos é uma pena exemplar, pela prática de dolo eventual — o homicídio de uma vítima, nas circunstâncias em que aconteceram”.

À época, o caso revoltou moradores de Curitiba e Região Metropolitana. Câmeras de trânsito de Pinhais registraram parte do trajeto que o acusado fez com o ciclista preso ao para-brisa do carro. As gravações mostraram que o suspeito de matar o ciclista só parou o veículo após ter a passagem fechada por uma motocicleta. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista estava embriagado.

No vídeo, foi possível ver que o motorista seguia com o ciclista no para-brisa, guiando pela contramão. Ele voltou pela pista, continuou até ser forçado a parar, e, na sequência, teve o carro cercado por moradores da região, indignados com a cena.

O ciclista morto, Marco Aurélio Sadlovski, tinha 31 anos e trabalhava como pedreiro. Ele deixou mulher e dois filhos.

26/05/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *