Nova hemodinâmica no HGE diminui riscos de sequelas em pacientes cardiovasculares

Hospital é o único entre os públicos em Alagoas que oferece angioplastia primária e cateterismo

Em um ano, 255 pacientes do HGE foram transportados pelo Samu para a hemodinâmica do hospital particular
Em um ano, 255 pacientes do HGE foram transportados pelo Samu para a hemodinâmica do hospital particular

A assistência prestada aos alagoanos que necessitam ser submetidos ao cateterismo e angioplastia ganhou ainda mais agilidade no Hospital Geral do Estado (HGE). É que no último dia 23 de junho foi inaugurada a Unidade de Hemodinâmica Dr. João Fireman, que já teve 16 atendimentos somente nestes primeiros 15 dias.

Antes, os pacientes com diagnóstico de infarto agudo no miocárdio (IAM) tinham que aguardar na Unidade de Dor Torácica (UDT) a chegada de uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para ser levado ao Hospital do Coração (HCor), onde eram oferecidas as técnicas de desobstrução dos vasos sanguíneos através do Sistema Único de Saúde (SUS). Agora, basta o usuário ser transportado até a unidade que está localizada dentro do próprio hospital.

“A espera pela ambulância diminuía as chances do procedimento dar um benefício maior ao doente com infarto com supradesnivelamento do segmento ST. A demora aumentava o risco de o paciente adquirir alguma sequela resultante da falta de irrigação no coração, podendo até levar ao óbito. Com a inauguração de nossa hemodinâmica, a angioplastia primária e o cateterismo passaram a ser realizados com maior brevidade de tempo e quem sai ganhando nessa história é o doente”, disse o cardiologista Alex Barros dos Santos.

Em um ano de parceria pioneira entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e o HCor, 255 pacientes do HGE foram transportados pelo Samu para a hemodinâmica do hospital particular. E desde a inauguração no maior hospital público de Alagoas até o dia 7 julho, 16 usuários do SUS tiveram acesso à técnica mais avançada do mundo nos exames e tratamentos cardiovasculares, com destaque para a realização de diagnósticos e procedimentos terapêuticos utilizando a técnica do cateterismo.

Um desses beneficiados foi o aposentado Edmilson Pereira de Moraes, de 56 anos. “Senti uma dor no peito muito forte e fui levado a um mini pronto-socorro, que logo suspeitaram do infarto e me encaminharam para o HGE. O atendimento foi fantástico, rápido, eficaz. Já não sinto dores, porém sei que precisarei adotar novos hábitos de vida. Se não fosse esse serviço, eu poderia ter morrido”, falou.

Em 2015, 2.272 pacientes foram atendidos no HGE com IAM, um número pouco superior quando comparados aos do ano anterior, 2.251. De janeiro a maio deste ano, a Coordenação de Vigilância Epidemiológica do HGE já registrou 599 internamentos de pacientes vítimas de infarto.

Thallyson Alves – Agência Alagoas