Padre Eraldo provoca turbulência na eleição de Delmiro Gouveia

padre-eraldo-vermelho

A entrada do Padre Eraldo Cordeiro (PSD) na disputa pela prefeitura de Delmiro Gouveia causou um “fuzué” danado nos outros concorrentes, mudando assim o rumo da eleição. Ele é forte candidato com apoio da ex-senadora Heloisa Helena(Rede).

Nos bastidores da cidade de Delmiro Gouveua registra desavença ruidosa entre os candidatos, na eleição deste ano. É que todas as correntes e tendência política torcia para o religioso ficar inelegível. No entanto, o pleno do TRE/AL deu ganho de causa a ele e agora, é o favorito na disputa.

Padre Eraldo vai levar para o seu palanque a ex-senador Heloisa Helena(Rede) e ainda de quebra o líder do PMDB do governo na Assembleia Legistlativa, néopemedebista Ronaldo Medeiros, além de já confirmado o deputado federal Marx Beltrão bem relacionado com o presidente Michel Temer podendo ser Ministro dos Turismo.

A eleição de Delmiro Gouveia inicialmente chegou a ter sete candidatos a prefeito. Antes da decisão do TRE/Al favorável ao Padre Eraldo, quatro pretensos pré candidatos jogaram a toalha para apoiar o vereador Valdo Sandes(PSB) que faz oposição ao prefeito peemedebista Lula Cabeleira. Deixaram a disputar: o vereador Edvaldo Nascimento(PC do B), Valfrânia Correia do PP do senador Biu de Lira, o ex-´prefeito Cazuza Oliveira e Edmilson Tenório.

Resta agora: o deputado federal Givaldo Carimbão(PHS) com apoio do prefeito Lula Cabeleira; Padre Eraldo Cordeiro, e Aderval Tenório(PRTB) primeiro suplente de deputado federal.

O  inusitado é que todos já apoiaram o presidente do Senado, Renan Calheiros e agora quem será o postulante que terá a simpatia do Renan. A eleição em Delmiro Gouveia promete ser das mais acirradas, onde a tendência favorável ao Padre Eraldo deve levar alguém desistir na reta final da caminhada.

Saiba como foi:

O Juiz Jairo Xavier da Costa da 40º Zona Eleitoral de Alagoas julgou procedente a representação do Ministério Público contra o Padre Eraldo Cordeiro. O Ministério Público Eleitoral formalizou representação perante o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas contra Eraldo Joaquim Cordeiro, alegando que ele teria feito doação superior ao limite legal para campanha nas eleições de 2010.

Pediu, na inicial, inaudita altera pars, a quebra de sigilo fiscal de Eraldo Cordeiro.
E finalmente, julgado pelo pleno do TRE de Alagoas depois de ida e vinda, ele foi inocentado da acusação.

Blog Bernardino Souto – diárioarapiraca.com