Paquistanês que matou a irmã famosa por ‘honra’ é indiciado

Um paquistanês foi indiciado nesta terça-feira pelo assassinato de sua irmã, a estrela das redes sociais Qandeel Baloch, estrangulada por ter, segundo o acusado, manchado a honra da família com selfies ousadas, um caso que provoca comoção no país.

Muhammad Wassem foi indiciado por um tribunal da cidade de Multan, região central do Paquistão, onde ele vive com família, por ter estrangulado a irmã em julho.

Seu primo Haq Nawaz foi acusado de cumplicidade pela polícia.

Outro suposto cúmplice, o taxista Abdul Basit, está em liberdade condicional.

Wassem reivindicou o crime de “honra” depois de ser detido.

“O juiz acusou os três homens e adiou a audiência até 8 de dezembro”, disse um magistrado à AFP.

Muhammad Wassen se declarou “inocente”, acrescentou a fonte.

“O tribunal solicitou à polícia que apresente a lista completa dos fatos atribuídos aos suspeitos na próxima audiência”, completou o magistrado.

Qandeel Baloch ficou famosa, entre outras coisas, por ter apresentado a proposta de um strip-tease em homenagem à seleção de críquete do Paquistão.

Waseem disse à imprensa em julho que não tinha remorso por seu ato, pelo comportamento que chamou de “intolerável” da irmã.

O assassinato provocou uma retomada do movimento a favor de penas mais duras para os crimes cometidos em nome da honra.

Em 6 de outubro, o Parlamento paquistanês aprovou uma lei para processar os autores de “crimes de honra” e condená-los à prisão perpétua, para lutar contra um costume que custa a vida de centenas de mulheres a cada ano.

A legislação anterior permitia ao assassino, geralmente um parente da vítima, escapar de qualquer pena se recebesse o perdão de outros membros da família.

 

Yahoo

09/12/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *