Risco de câncer é potencializado com alimentação rica em frituras

Nutricionista explica porque as frituras são tão danosas à saúde e recomenda alimentos na forma grelhada, cozida e assados como substituição

Segundo a nutricionista Janaína Villanova , a melhor opção é trocar as frituras pelos grelhados.  
Segundo a nutricionista Janaína Villanova , a melhor opção é trocar as frituras pelos grelhados.
Coxinhas, pastéis e batatas fritas são apenas alguns dos alimentos que fazem sucesso quando preparados na forma frita. Só que eles além do risco de obesidade e doenças crônicas, também potencializam o desenvolvimento de alguns tipos de cânceres, como o de próstata, mama, estômago e intestino.

“Estudos mostram que certos compostos liberados durante o sobreaquecimento de óleos e gorduras estão ligados a alterações cancerígenas. As frituras atuam em diversos processos maléficos para o organismo. Causam inflamações, má absorção de nutrientes, diminuição da fertilidade, levam ao acúmulo de gordura abdominal e, claro, elevam o risco de doenças cardiovasculares”, descreveu a nutricionista Janaína Vilanova, do Hospital Geral do Estado (HGE).

Isso porque, segundo a nutricionista, os óleos utilizados, quando submetidos à alta temperatura, têm suas características químicas alteradas, transformando-se em gorduras que frequentemente se acumulam nos vasos sanguíneos, obstruindo a passagem do sangue e afetando gravemente o funcionamento do coração. O processo ainda causa aumento da quantidade de colesterol ruim (LDL) no óleo e faz com que ele fique ainda mais gorduroso e prejudicial.

“As frituras podem levar o indivíduo a obesidade e esse excesso de peso predispõe as doenças crônicas, tais como hipertensão e diabetes. O excesso de frituras também pode levar a doenças cardiovasculares porque leva ao aumento de gorduras saturadas e consequentemente ao colesterol ruim e como consequência formam-se as placas de gorduras nas paredes das artérias impedindo a passagem do sangue”.

De acordo com a especialista, a obstrução causada pelas placas de gorduras não permitem que o sangue irrigue o coração, levando a pessoa a um infarto e se o sangue não chegar ao cérebro, um acidente vascular cerebral.

Janaína Villanova alertou que o óleo utilizado para fritar os alimentos não deve ser reaproveitado jamais porque sua reutilização aumenta a formação de uma substância que aumenta o risco de doenças como irritação do intestino e o câncer.

“A formação dessa substância ocorre quando o óleo é submetido a temperaturas muito altas, pois a gordura sofre alterações e perde qualidade. Essa degradação acontece mesmo com os óleos mais benéficos para a saúde, como o azeite, por exemplo”.

Para a profissional, quem quer e consegue seguir à risca uma vida saudável a melhor opção é trocar as frituras pelos grelhados, método ideal para alimentos como peixes, frangos e alimentos com cortes mais finos.

“Os que não resistem, devem diminuir, consumindo esporadicamente, a substituição deve ser feita por opções mais saudáveis como os grelhados, já citados, e os cozidos, ensopados e assados, junto com a implantação de hábitos saudáveis, para prevenção de doenças e para o bem-estar. O azeite é a gordura ideal para colocar em natura nas saladas e preparações culinárias”, completou a nutricionista.

Neide Brandão – Agência Alagoas

09/07/16