Suspeito preso alega que atirou contra capitão da PM ao confundi-lo com bandido

Agnaldo Vasconcelos foi detido no Jardim Petrópolis 2 e levado para a sede da Deic

agnaldo-vasconcelos
Agnaldo Vasconcelos

Agnaldo Lopes de Vasconcelos, de 49 anos, preso pela morte do capitão Rodrigo Moreira Moreira, de 32 anos, alegou, em depoimento na sede da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), que atirou em direção ao militar por confundi-lo com um bandido.

O crime aconteceu na noite desse sábado (09), durante ocorrência no bairro de Santa Amélia, em Maceió.

Agnaldo foi detido por uma guarnição do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRP) na casa da namorada. Ele é funcionário de uma concessionária de veículos da capital.

Em depoimento à polícia, o suspeito disse que atirou no policial por não reconhecê-lo como tal e por pensar que se tratava de uma invasão ao domicílio. Ele alegou que estava armado devido ao histórico de violência na região, onde era comum roubo em residências.

Conforme nota encaminhada pela SSP, Agnaldo foi localizado no conjunto Jardim Petrópolis 2, na parte alta de Maceió, não resistiu à prisão e foi imediatamente levado para a sede da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), também no bairro de Santa Amélia.

O suspeito foi ouvido pelo delegado Ronilson Medeiros, chefe da Deic, durante a madrugada inteira. A arma do crime, segundo a Secretaria de Segurança Pública, foi apreendida pelos policiais da Radiopatrulha. Era um revólver calibre 38 com dois estojos deflagrados e cinco munições de 357 (uso restrito). No local, também foi apreendida uma espingarda soca-tempeiro.

Ainda nesta manhã de domingo, ele será conduzido para a Casa de Custódia 2, no bairro do Jacintinho. De lá, segue para o sistema prisional.

O caso

O capitão Rodrigo Moreira Rodrigues, de 32 anos, que estava na supervisão do dia do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRP), foi morto a tiros, no fim da noite desse sábado (09), durante uma ocorrência no bairro de Santa Amélia, na parte alta de Maceió. A viatura comandada pelo oficial foi recebida à bala por um homem que estava dentro de uma residência. Um dos tiros acertou o militar na região do pescoço.

Capitão Rodrigo Moreira Rodrigues. Foto Facebook
Capitão Rodrigo Moreira Rodrigues. Foto Facebook

Outros três policiais estavam na guarnição e não foram atingidos pelos projéteis. Na linha de frente, o capitão Rodrigues sofreu um disparo no pescoço e foi imediatamente socorrido ao Hospital Geral do Estado (HGE). Assim que chegou à unidade, ele não resistiu à gravidade e morreu.

O tiro que matou o capitão entrou pela lateral do colete transfixando o pulmão e saindo no pescoço/rosto do militar.

Por meio de nota encaminhada à imprensa, o secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Paulo Domingos Lima Júnior, e o comando-geral da Polícia Militar disseram lamentar profundamente a morte do capitão Rodrigues em pleno exercício de proteger a sociedade.

Funeral

O funeral será na capela 03, do cemitério Campo Santo Parque das Flores, no Tabuleiro do Martins, em Maceió, onde o corpo será sepultado às 17h.

Thiago Gomes – Gazetaweb