Youssef, Baiano e Cerveró prestam depoimentos como testemunhas de acusação contra Lula

Processo apura suposto pagamento de propina por parte da Odebrecht ao ex-presidente. Lobista Milton Pascowitch também deve ser ouvido.

O juiz federal Sérgio Moro ouve nesta sexta-feira (26) mais quatro testemunhas de acusação em um processo que apura um suposto pagamento de propinas por parte da Odebrecht ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A audiência está marcada para começar às 14h.

Devem ser ouvidos na audiência o doleiro Alberto Youssef, o lobista Fernando Falcão Soares, conhecido como Fernando Baiano, o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e o lobista Milton Pascowitch. Todos são delatores da Operação Lava Jato e já foram condenados em processos relacionados às investigações de desvios de dinheiro na Petrobras, atesta o G1.

As testemunhas foram arroladas pelo Ministério Público Federal (MPF), nesta primeira fase de depoimentos. As audiências de instrução, quando o juiz ouve as testemunhas da acusação e da defesa, devem se estender, no mínimo, até 12 de julho. Depois dessa fase, Moro deverá ouvir os réus.

Ação penal

Nesta ação penal, Lula é réu por ter, supostamente, recebido vantagens indevidas da Odebrecht, por meio da compra de um terreno, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e também de um apartamento no mesmo andar do prédio em que ele mora, na mesma cidade. O terreno seria usado para construir uma nova sede para o instituto social que leva o nome do ex-presidente, e o apartamento é usado até hoje por Lula, como casa para os policiais federais que fazem a segurança dele.

Nada a ver com triplex

Este processo a que Lula responde na 13ª Vara Federal de Curitiba corre em paralelo a outro, em que Lula é acusado de receber propina da OAS, por meio de um apartamento triplex no Guarujá e do pagamento da guarda de bens do ex-presidente em uma transportadora. Essa ação penal já passou pela fase de depoimentos. Agora, Moro aguarda que o MPF e as defesas entreguem as alegações finais, para que ele possa definir a sentença, em que poderá condenar ou absolver os réus.

26/05/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *